sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Mais um Natal sem você Thadeuzinho...


Como ter um Natal feliz sem nossos filhos queridos. Sem você Thadeu, todas as luzes do Natal perderam o brilho, nada mais tem cor , nada mais tem vida.
E na minha dor, procuro pensar em você meu filho, em um lugar muito bonito, com o coração cheio de paz, cheio de amor, a nossa estrela no céu.
Sei também que sentes saudades mas, o que acalma o meu coração é saber que, pelo menos o seu Natal, será lindo, com muitas luzes e muito amor, afinal de contas você  vai passar ao lado do aniversariante mais ilustre.
Feliz Natal meu filho, eu te amo demais. A saudade é muito grande, mas sigo com fé em Deus aguardando o tão esperado momento do nosso feliz reencontro.


Queria também desejar um Feliz Natal, a todos os queridos amigos que seguem o meu blog e tanto me ajudam com palavras de força e fé, não imaginam a gratidão que sinto por todos vocês.


Recebi essa oração de uma amiga ,desconheço o autor mas queria dividir com vocês. Feliz Natal a todos.


Oração de Natal

Senhor, nesta Noite Santa, depositamos diante de Tua manjedoura todos os sonhos,
todas as lágrimas e esperanças contidos em nossos corações.

Pedimos por aqueles que choram sem ter quem lhes 
enxugue uma lágrima.

Por aqueles que gemem sem ter quem 
escute o seu clamor.

Suplicamos por aqueles que Te buscam sem saber 
ao certo onde Te encontrar.

Para tantos que gritam paz, quando nada mais 
podem  gritar.

Abençoa, Jesus, cada pessoa que sofre, colocando 
em seu coração um pouco da luz eterna que vieste acender
na noite escura na nossa fé.
Fica conosco, Senhor !
Assim seja.



domingo, 4 de dezembro de 2011

01 ano de tristezas e saudades de você...



Ontem dia 03/11/2011, fez um ano que você partiu.Quanta saudade Thadeu, parece que foi ontem que nos despedimos meu filho. Ainda sinto o seu cheiro, escuto suas risadas, suas brincadeiras...
Meu Deus , como eu queria que tudo isso fosse um pesadelo, como queria dormir e  acordar ao seu lado e nunca mais sair de perto de você.
É tão difícil ter que seguir em frente meu filho, esse vídeo expressa exatamente o que sinto.
Mas, se Deus me trouxe até aqui, onde pensei que não chegaria, Ele deve ter o Seus planos. Sigo "vivendo" , esperando por notícias suas, com paciência , um dia sei que  elas virão. 
Deus te abençoe meu filho, eu te amo muito.


segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Aniversário de 21 anos do meu Thadeuzinho, na APAE de Iracema-Ce.






Dia 22 de novembro de 2011, o meu Thadeu completou 21 anos, infelizmente não pudemos contar com sua presença física  mas, tenho absoluta certeza que a nossa comemoração junto com a APAE de Iracema te enche de paz e alegria. Ver o sorriso e a felicidade em cada rosto, é o nosso presente para você meu filho.
Falo isso por que, quem conhece Thadeu , sabe do seu imenso amor e preocupação com as crianças , principalmente as que portam alguma necessidade especial.

Tentei assim, transformar parte da dor que sinto com a sua ausência, em amor ao próximo, e  ficar mais perto de você, Thadeuzinho. 
Acho que consegui, a sua festinha  foi linda e cheia de emoção.
Feliz Aniversário meu amor...
Feliz Aniversário minha vida.
Que Deus te abençoe e apresse o tempo do nosso reencontro.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

O tempo cura tudo...

 Mentira !! O tempo não cura nada. A saudade só aumenta, a dor é a mesma , revivo todos os dias aquela   terrível tarde de sábado.
Li uma frase outro dia que achei genial, "O tempo apenas tira o incurável do centro das atenções ". É a mais pura verdade, temos que seguir em frente e somos obrigados a conviver com essa dor sem nome, sem fim.
Me desculpem mas hoje estou tão ruim, acho que a é a proximidade do aniversário de 21 anos do meu Thadeu, que esse ano infelizmente não vai poder comemorar conosco, pelo menos não fisicamente. 
Estou tão cansada meu Deus...Não tenho ânimo para escrever mais nada. Perdoem-me a fraqueza.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Sorrindo na Tempestade



Aquela menininha diariamente fazia o caminho para a escola sozinha e a pé.
Naquela manhã, apesar do mau tempo, do vento forte e das nuvens ameaçadoras, ela seguiu em direção à escola.
Ao longo do dia, o vento foi aumentando. Formou-se uma tempestade com muitos raios e trovões.
A mãe pensou que sua filha poderia sentir medo de voltar sozinha em meio ao temporal. Afinal, ela mesma estava bastante assustada.
Preocupada, ela entrou em seu carro e dirigiu, em meio à tempestade, para apanhar a filha na escola.
Não demorou muito, e ela avistou a sua filha andando pela estrada.
Chamou-lhe a atenção, no entanto, o fato de que, a cada relâmpago, a criança parava, olhava para cima e sorria.
Outro e outro relâmpago. E ela sempre parava, olhava para cima e sorria.
Finalmente, a menina entrou no carro. A mãe, curiosa, foi logo perguntando: 
Filha, o que você estava fazendo?
E a garotinha, alegre e despreocupada, respondeu: 
Eu estava sorrindo. Deus não para de tirar fotos minhas!
*   *   *
A inocência da infância. A lição da simplicidade de descobrir beleza em todas as coisas.
De confiar em quem é o Criador de todo o imenso Universo e Pai amoroso e bom, que está atento a tudo.
Pudéssemos nos recordar, em nossa vida, dos momentos mágicos da infância e nossa vida seria menos complicada.
Quando os temporais das adversidades nos chegassem, lembraríamos de que Deus tudo sabe e vela por nós.
Disso se conclui que devemos confiar Nele: é o essencial. Assim, em meio à tempestade, olhemos para o alto e utilizemos nosso sorriso, avançando sempre, vencendo os percalços.

Redação do Momento Espírita, com base no texto Inocência, de autor desconhecido, 
disponível no site flori_jane.sites.uol.com.br/index.htm e no cap. 2,
 item 30 de A gênese, de Allan Kardec, ed. Feb.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Superando a dor...





No dia 28 de julho de 1976, a cidade industrial de Tangshan foi completamente arrasada por um terremoto apavorante, trezentos mil mortos. O fato ficou famoso como símbolo do colapso total das comunicações da China naquela época.
A preocupação das autoridades era com a crise pela morte de Mao Tsé-Tung e duas outras importantes personalidades. A notícia do terremoto acabou chegando ao governo através da imprensa estrangeira, muitas mulheres ficaram sem marido e viram seus filhos serem tragados por abismos profundos.
Chen foi uma delas. Naquela manhã de julho, antes de clarear, ela foi despertada por um som estranho, era uma espécie de ronco surdo e um assobio, como se um trem estivesse se espatifando contra as paredes da casa.
Quando ia gritar, metade do quarto cedeu e a cama onde estava deitado o marido, foi tragada por um buraco enorme, o quarto das crianças, que ficava do outro lado da casa, como um cenário de um palco apareceu à sua frente.
O filho mais velho estava de olhos arregalados e boca aberta. A menina chorava e gritava, estendendo os braços para a mãe, o filhinho pequeno continuava dormindo calmamente, a cena à sua frente sumiu de repente como se uma cortina tivesse caído.
Chen acreditou que estava tendo um pesadelo e se beliscou. Não acordou. Então, espetou a perna com uma tesoura. Sentindo a dor e vendo o sangue, entendeu que não era um sonho.
Gritou como louca. Ninguém ouviu. De todos os lados vinham sons de paredes desmoronando e de móveis quebrando. Ela ficou ali, com a perna ensanguentada, olhando para o buraco enorme que tinha sido a outra metade da sua casa.
Seu marido e suas lindas crianças tinham desaparecido diante dos seus olhos.
Sentiu vontade de chorar, mas não tinha lágrimas. Simplesmente não queria continuar vivendo.
Vinte anos depois, contando esta história a uma jornalista, Chen confessa que quase todo dia, ao amanhecer, ouve um trem roncando e apitando, junto com os gritos dos seus filhos. Os pesadelos a machucam, mas ela diz que os suporta porque neles estão também as vozes dos seus filhos.
E quem pensa que Chen vive somente a lamentar e a chorar a perda dos seus amores, engana-se.
Ela, junto a outras mães que perderam seus filhos no terremoto de 1976, fundaram um orfanato, com o dinheiro da indenização que receberam.
É um orfanato sem funcionários. Alguns o chamam de uma família sem homens.
Vivem ali algumas mães e dezenas de crianças. Cada mãe ocupa um aposento grande com cinco ou seis crianças. Os aposentos do orfanato foram decorados com uma infinidade de cores, de acordo com o gosto das crianças. Cada quarto com seu estilo de decoração.
Bem diferente dos orfanatos tradicionais da China.
Ao ser questionada como se sente hoje, naquele voluntariado, confessa Chen:
Muito melhor. Especialmente à noite. Fico olhando enquanto as crianças dormem. Sento ao lado delas, seguro suas mãos contra o meu rosto. Beijo-as e agradeço a elas por me manterem viva.
É um ciclo de amor. Dos velhos para os jovens e de volta para os velhos.
*   *   *
Por vezes, quando a dor nos visita, nos enclausuramos nela, acreditando que a nossa é a dor maior do mundo.
O exemplo de Chen nos dá a dimensão da dor e nos ensina como lidar com ela: atender o próximo que também sofre.
Afinal, sempre que olharmos para trás encontraremos criaturas mais intensamente feridas do que nós mesmos. E no atendimento às suas feridas, encontraremos o alívio que buscamos.
Tudo porque o toque delicado do amor é o curativo perfeito para as próprias chagas abertas no coração.

Redação do Momento Espírita com base no cap. As mães que sofreram um terremoto, do livro As boas mulheres da China, de autoria de Xinran, ed. Companhia das letras.
Em 11.10.2011.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

A rosa do Rei...


Havia um jardineiro de uma mansão, que cuidava com muito carinho de todas aquelas plantas, mas ele tinha uma especial, uma que era linda, formosa, perfumada e ele cuidava daquela rosa como se fosse sua vida.


Uma manhã, ele chegou ao jardim e cadê a sua rosa? Não estava mais lá, o homem ficou triste, procurando a rosa mais linda do seu jardim e que ele amava tanto.


Andou até chegar na vidraça do castelo do rei e viu no centro da sala sua linda rosa, plantada para enfeitar a sala do rei.
Este ,  vendo que o jardineiro olhava lhe perguntou:
O que foi ?
Qual o seu problema ?
O homem disse:
É que a minha rosa , o Senhor levou para dentro de sua casa, e lá eu não posso cuidar dela, é a minha predileta!
O rei respondeu:
Por acaso esqueceste que o jardim é meu ? Eu recolho as rosas que eu quiser, e as mais belas e preciosas levo para perto de mim, antes de ser a sua favorita, ela já era minha.
E o Rei continuou:
Mas não entristeça seu coração; chegará o tempo em que você poderá entrar em minha casa e desfrutar de sua beleza.

(Texto retirado da internet, desconheço o autor )

As vezes, esquecemos que o jardim é do Senhor e nós somos apenas Seus jardineiros, não somos donos de nada , nem dos nossos filhos, e  para o meu desespero, no dia 03 de dezembro de 2010, o Rei colheu a rosa mais linda do meu jardim.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Esperar...


Meu Thadeuzinho foi uma dádiva que Deus nos concedeu para, com ele, aprendermos exemplos de amor, muito amor.  Cada momento da sua vida é lembrado pela presença constante de alegria, risos e muita dedicação a família .
A vida sem ele se tornou um fardo muito difícil de carregar, mas só posso esperar, esperar e esperar...
Deus te proteja filho, e que Maria te receba em Seus braços de mãe maravilhosa que é, e te dê a certeza do nosso reencontro breve.
Eu te amo muito.

sábado, 3 de setembro de 2011

9 meses sem meu Thadeuzinho...

Hoje acordei sem vontade nenhuma de levantar, sem vontade nenhuma de viver, mesmo sabendo que de nada vai adiantar, nada vai mudar a minha realidade.
Penso naquele maldito final de tarde , nove meses atrás,  no momento terrível da notícia que destruiu a  minha vida.
Você partiu Thadeuzinho, partiu sem se despedir , levando com consigo todos os meu sonhos, sim, porque todos os meus sonhos e projetos eram para você meu filho, e justamente quando eles estavam prestes a se tornar realidade, você foi embora. 
Quanta saudade meu filho...Como é ruim ter que ficar aqui e ainda por cima ser praticamente obrigada a levar uma vida "normal", por que todos insistem em  dizer que " a vida continua " e o fato, é que eles estão certos, infelizmente continua mesmo, independente da nossa vontade, e pensar nisso é ainda pior, por que o vazio de continuar sem você é terrível, outro dia li em um artigo que a vida não "continua", ela recomeça sem aquela pessoa e com uma história interrompida.
É verdade, e diante disso eu pergunto, que vida? Que sentido pode ter a vida de uma mãe que perde  seu único filho? Que projetos ainda posso ter meu Deus ? Que alegrias ? O que ainda posso festejar sem você ?
Como tá difícil ficar aqui sem ouvir a sua risada,  suas tiradas engraçadas  e ingênuas...Meu filho , você é um menino grande, um coração que não cabe no peito, tamanha a generosidade , as vezes parece uma criança...
Ô Thadeuzinho, por que que você foi embora ? Que falta você faz meu filho...Não consigo me acostumar, se pelo menos eu sonhasse com você meu amor..Mas nem isso.
Me perdoe meu filho mas hoje estou tão sem esperanças. Tenho que seguir por aqui meu querido, não posso correr o risco de me afastar ainda mais de você tentando encontrá-lo agora, vou ficando e  contando os dias, que graças a Deus estão passando muito rápidos, pedindo a Jesus que cuide de você e que Maria  sossegue o seu coraçãozinho por mim, enquanto espero com resignação o dia feliz do nosso reencontro.
Vou te abraçar tanto meu filho, que só em pensar já acalma o meu coração, só peço a Ele que não demore muito.
 Deus te abençoe meu anjo.
 EU TE AMO MUITO.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Prece da mãe pelo filho que partiu...


Meu coração sangra por causa do meu filho que se foi, mas a minha fé resiste. Em outras partes , mães também carregam o peso da separação dos filhos, e, se tantas são chamadas a essa prova, é porque tens um plano para os nossos filhos.
És Tu , mais do que uma mãe.
És a mãe das mães.
Os filhos de todas as mães , são mais filhos Teus do que delas.
Põe,  pois, uma benção sobre minha cabeça e vencerei a dor.
Recebe o meu filho, afaga-o, protege-o, destina-lhe um pouso de paz onde será muito mais feliz do que aqui.
Conforta também o coração das outras mães, para que aceitem a Tua lei de amor.
Me ajude por favor minha mãe. Eu te amo muito !

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Uma amiga me mandou esse texto ,achei muito interessante, queria dividir com vocês.




Só de passagem...

Conta-se que, no século passado, um turista americano foi
à cidade do Cairo no Egito, com o objetivo de visitar um famoso
sábio.
O turista ficou surpreso ao ver que o sábio morava num
quartinho muito simples e cheio de livros.
As únicas peças de mobília eram uma cama, uma mesa e um
banco.
- Onde estão seus móveis? Perguntou o turista.
E o sábio, bem depressa olhou ao seu redor e perguntou também:
- E onde estão os seus...?
- Os meus?! Surpreendeu-se o turista.
- Mas estou aqui só de passagem!
- Eu também... - concluiu o sábio.

"A vida na Terra é somente uma passagem... No entanto, alguns vivem como se fossem ficar aqui eternamente, e se esquecem de ser felizes."

domingo, 14 de agosto de 2011

Feliz Dia dos pais meu filho, que o nosso pai maior te abraçe com carinho e ampare o seu pai que sofre tanto com sua ausência física. Nós te amamos muito !!



AS MÃOS DE MEU PAI
As tuas mãos tem grossas veias como cordas azuis
sobre um fundo de manchas já de cor de terra
- como são belas as tuas mãos
pelo quanto lidaram, acariciaram ou fremiram da
nobre cólera dos justos
Porque há nas tuas mãos, meu velho pai, essa beleza
que se chama simplesmente vida.
E, ao entardecer, quando elas repousam nos braços
da tua cadeira predileta,
uma luz parece vir de dentro delas...
Virá dessa chama que pouco a pouco, longamente,
vieste alimentando na terrível solidão do mundo,
como quem junta uns gravetos e tenta acendê-los
contra o vento?
Ah! Como os fizeste arder, fulgir, com o milagre das
tuas mãos!
E é, ainda, a vida que transfigura das tuas mãos nodosas...
essa chama de vida – que transcende a própria vida
...e que os Anjos, um dia, chamarão de alma.

Mario Quintana

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Amor Eterno

[religião3.png] 

- Você gosta do meu vestido?, perguntou uma menina para uma estranha que passava.

- Minha mãe fez para mim! comentou com uma lágrima nos olhos.

- Bem, eu acho que é muito bonito. Mas me conte porque você está chorando, disse a senhora.

Com um ligeiro tremor na voz a menina falou:

- Depois que mamãe me fez este vestido, ela teve que ir embora.

- Bem, disse a senhora, agora você deve ficar esperando por ela. Estou certa que ela voltará em breve.

- Não senhora, a senhora não entendeu. Meu pai disse que a mamãe está com meu avô, no céu.

Finalmente, a mulher percebeu o que a criança estava dizendo e porque estava choramingando.

Comovida, ajoelhou-se e, carinhosamente, embalou a criança nos braços.

Acariciando-a, chorou baixinho com ela. Então, de repente, a menina fez algo que a mulher achou muito estranho: começou a cantar.

Cantava tão suavemente que era quase um sussurro. Era o mais doce som que a mulher já tinha ouvido. Parecia a canção de um pássaro. Quando a criança parou de cantar, explicou para a senhora:

- Minha mãe cantou esta canção para mim antes de ir embora. Ela me fez prometer sempre cantar quando começasse a chorar, porque isso me faria parar. Veja, exclamou a criança, cantei e agora os meus olhos estão secos.

Quando a mulher se virou para ir embora, a pequena menina se agarrou na sua roupa.

- Senhora, pode ficar apenas mais um minuto? Quero lhe mostrar uma coisa.

- Claro que sim, falou a dama. O que você quer que eu veja?

Apontando para uma mancha no seu vestidinho, a menina falou:

- Aqui está a marca onde minha mãe beijou meu vestido. E aqui, disse, apontando outra mancha, é outro beijo, e aqui, e aqui. A mamãe disse que colocou todos esses beijos em meu vestido para que eu sempre tenha seus beijos se algo me fizesse chorar.

Naquele momento a senhora percebeu que não estava apenas olhando para uma criança, cuja mãe sabia que iria partir e que não estaria presente, fisicamente, para beijar as lesões que a filha viesse a ter.

Aquela mãe havia gravado todo seu amor no vestido da sua pequena e encantadora criança. Vestido que agora a menina usava tão orgulhosamente.

A mulher já não via apenas uma pequena menina dentro de um simples vestido. Via uma criança embrulhada no amor de sua mãe.

***

A morte a todos alcança. Preparar-se para recebê-la com dignidade, preparando igualmente os que permanecerão na terra por mais tempo, demonstra altruísmo e grandeza de alma.

Como Jesus nos afirmou que nenhum de nós sabe exatamente a hora em que terá que partir, importante que distribuamos o nosso amor e vivamos as nossas vidas em totalidade.

Assim, quando tivermos que partir, as lembranças do que fomos e do que fizemos, aquecerão as almas dos nossos amores, amenizando o vazio da nossa ausência física.

Pensemos nisso!

Autor:
Redação do Momento Espírita, baseado em texto de autor desconhecido intitulado: "Amor eterno
".

sábado, 6 de agosto de 2011

Caravana Luz de Maria

 Alguém conhece a Caravana Luz de Maria ? Eu sei que fica em Lorena -SP, são grupos que vão a procura de notícias dos seus entes queridos que estão do outro lado da vida, o trabalho é conhecido como " Cartas Consoladoras ", são mensagens /cartas que chegam através da psicografia do médium Rogerio H. Leite.
Por favor, se alguém já teve essa experiência tão alentadora poderia me orientar ? Gostaria muito de ir, tenho tanta esperança de saber notícias do meu Thadeu. 
 
 
 
 
 
 

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

8 meses sem você meu filho...Quando vou aceitar a realidade meu Deus !

Mensagem muito emocionante do seu pai


Thadeu

Será difícil os meus dias sem você, a sua presença está em todo lugar e ela me contagia com seu jeitinho calado e meigo.

Estou com imensa saudade. Passamos momentos muito felizes e lembrarei de você todos os dias de minha vida. A sua lembrança será sempre a minha proteção e me fará suportar essa dor que estou sentindo com a sua ausência.
No dia que partiu, no momento que lhe encontrei senti uma dor profunda, uma saudade devastadora. O mais completo desespero que um pai pode sentir. Estava diante do momento mais triste, fechava os olhos na esperança de abri-los e encontrar tudo diferente, pensava em você imerso de saudade, mas não entendia o porquê.

Sendo seu pai, agradeço por me ensinar o que é o amor, alegria, satisfação... A me fazer entender e compreender os sentimentos mais variados e extremos possíveis.

Com a sua partida, aprendi o que é dor, sofrimento e choro... Mas você me ensinou e ainda estou aprendendo o que é ter força, determinação e auto controle.

Tenho que agradecer por ter sido escolhido por Deus para ser seu pai, sou privilegiado por Ele ter deixado você ser "meu" por vinte anos. Tenho orgulho de você. Te amo, te amo, te amo, te amo...

Descanse em paz, fique com Deus.


Seu pai.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Lindo e emocionante...




Vídeo-poema com a poesia "Ao filho que morreu", de André Augusto Passari, do livro "Fragmentos do Tempo" (editora artepaubrasil), a música "Noturno nº 2" de Chopin, e imagens de grande sensibilidade,parabéns ao autor:

Ao filho que morreu


Ó, filho querido,
Descansa em paz e não tenhas medo
Pois, a partir de agora
Estarás imune ao sofrimento

Quanto a mim,
Saibas que vou amá-lo para sempre
O mesmo amor que eu já lhe tinha
Desde que vivias em meu ventre.

Jamais vou te esquecer
E a tua lembrança será para mim
Como se ainda continuasses a viver

Todos os dias, meu filho,
Vou arrumar o teu quarto
Vou dobrar o teu pijama
E, de vez em quando,
Só para fingir que ainda estás dormindo
Vou levar o café em tua cama

Todos os dias, meu filho,
Vou ler os teus livros
Vou ouvir os teus discos
E, de vez em quando,
Só para fingir que estás apenas demorando
Vou ligar para os teus amigos

E sobretudo, meu filho,
Todos os dias vou dizer-lhe bom dia
Vou beijá-lo no rosto
Vou abraçá-lo bem apertado
E vou rezar, e chorar feito louca
Diante do teu retrato

(André Augusto Passari, em "Fragmentos do Tempo", editora artepaubrasil )

sábado, 23 de julho de 2011

Hoje, todos os meus dias são frios e cinzentos, falta luz, falta cor, falta você Thadeuzinho!




Está tão difícil atravessar esse inverno rigoroso que se transformou a minha vida. Nunca, nem no meu pior pesadelo poderia imaginar uma provação tão grande, não imaginava o que a vida tinha me reservado.
Tem horas que a dor não dá trégua , não cede, e viver se torna insuportável, principalmente ao entardecer, sempre detestei esse horário. Hoje é um desses dias que me sinto sem forças, vou rezar e pedir a Deus lucidez e serenidade para compreender os Seus propósitos, coragem para seguir ...
Como posso sentir alegria com alguma coisa meu filho, sem você, sem as suas gargalhadas, sem o seu jeitinho tímido, sem a ansiedade que tomava conta de você quando querias  alguma coisa, tudo tinha que ser imediatamente, senão, era o fim do meu sossego.
Peço que perdoe as minhas recaídas meu filho, não quero que você se preocupe com nada por aqui, quero que siga em frente, em paz meu amor.
Sei que o nosso Deus de amor e misericórdia está cuidando de você, e lhe dando o entendimento necessário ao seu crescimento e evolução.
Eu vou continuando por aqui, aguardando com resignação o dia do nosso sonhado reencontro e  pedindo aos anjos de luz, enviados de Deus , guiados por Maria de Nazaré, que levem até você todo o meu amor e a minha saudade.
E, o tempo está passando muito rápido filho, quando menos se esperar, estaremos juntos novamente.
Fique com Deus , eu te amo demais Thadeuzinho, nunca esqueça .

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Meu filho querido, acreditar que você está vivo, e que vou reencontrá-lo, é o que me mantém de pé. Até logo, que Deus te abençoe meu amor...


MORRER É VOLTAR PARA CASA
Quando a morte chega, com sua bagagem de mistérios, traz junto divergências e indagações.
Afinal, quando os olhos se fecham para a luz, o coração silencia e a respiração cessa, terá morrido junto a essência humana?
Materialistas negam a continuação da vida. Mas os espiritualistas dizem que sim, a vida prossegue além da sepultura.
E eles têm razão. Há vida depois da morte. Vida plena, pujante, encantadora.
Prova disso? As evidências estão ao alcance de todos os que querem vê-las.
Prova disso está nas mensagens de renovação que vemos em toda parte.
Ou você nunca notou as flores delicadas que nascem sobre as sepulturas? É a mensagem silenciosa da natureza, anunciando a continuidade da vida. A morte é apenas o fim de um ciclo, a volta para casa.
Do outro lado da vida, a multidão de seres amados o aguarda. Pais, irmãos, filhos ou avós - não importa, os parentes e amigos que partiram antes estarão lá, para abraços calorosos, beijos de saudade, sorrisos de reencontro.
Nesse dia, as lágrimas podem regar o solo dos túmulos e até respingar nas flores, mas haverá felicidade para o que se foi em paz.
Ele vai descobrir um mundo novo, há muito esquecido. Descobrirá que é amado e experimentará um amor poderoso e contagiante: o amor de Deus.
Depois daquele momento em que os olhos se fecharam no corpo material, uma voz ecoará na alma que acaba de deixar a Terra.
E dirá, suave: Vem, sê bem-vindo de volta à tua casa.


Momento Espírita. Disponível no Cd Momento Espírita, v. 17, ed. Fep.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Um bom final de semana a todos !

Deus te abençoe, filho querido...



Ama os entes queridos, tais quais são e quando nas provas a que sejam chamados para efeito de promoção na Espiritualidade Maior, se não consegues descobrir o melhor processo de auxiliá-los, acalma-te e ora pelo fortalecimento e paz deles todos, na certeza de que Deus está velando por nós e de que nós todos somos filhos de Deus.

Emmanuel.

domingo, 3 de julho de 2011

Sete meses sem você...



A morte é apenas uma viagem que você antecipou, partiu antes da hora meu filho, foi tudo tão de repente, tão devastador que não sei como resisti , acredito que só pode ser Deus mesmo, tenho certeza  que Ele está cuidando de você e me dando forças para suportar a dor da sua ausência, desde aquela tarde que seria o pior dia da minha vida.

Sei que um dia nos encontraremos meu anjo e , é essa certeza que me faz colocar com firmeza os pés na estrada da vida em busca da minha saúde espiritual, confesso que está bem difícil, mas sei que você vai estar me esperando, e quero ter o merecimento de poder te abraçar de novo meu amor...

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Deus te proteja meu Thadeuzinho...


Saudade e Amor...
Ante as lembranças queridas dos entes amados que te precederam na Grande Transformação, é natural que as tuas orações em auxilio a eles, surjam orvalhadas de lágrimas.
Entretanto, não permitas que a saudade se te faça desespero, recorda-os, efetuando por eles o bem que desejariam fazer.
Imagina-lhes as mãos dentro das tuas e oferece algum apoio aos necessitados; lembra-lhes a presença amiga e visita um doente, qual se lhes estivesses atendendo a determinada solicitação; distribui sorrisos e palavras de amor com os irmãos algemados á rudes provas, como se os visses falando por teus lábios e atravessarás os dias de tristeza ou de angústia com a luz da esperança no coração, caminhando em rumo certo, para o reencontro feliz com todos eles, nas bençãos de Jesus, em plena imortalidade.

Emmanuel

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Uma razão para continuar vivendo...



Carta às mães que perderam seus filhos

Mãezinha querida... Seu coração está em pedaços...
Não há dor maior do que a perda de um filho...
Aprendemos a amá-los de uma forma tão grandiosa, tão completa, que não conseguimos mais enxergar o mundo sem a sua presença ao nosso lado.
Descobrimos um tipo de amor que nos faz crescer e nos faz amar a vida como nunca antes havíamos amado.
E subitamente são levados... Aos poucos meses, nos primeiros anos... Ou um pouco mais tarde. Levados de nosso regaço através da morte tão cruel.
Mãezinha querida... Seu coração pede consolo, pede uma razão para continuar vivendo...
E esta razão estará sempre em seu amor por eles.
Primeiramente pelo amor aos que ficaram e respiram também o ar de seu amar: filhinhos, esposo, pais, amigos queridos.
Mas também pelo amoraos que partiram porque, mãezinha querida, eles continuam a existir e a amá-la como antes o faziam.
A morte não mata o Espírito e também não mata o amor.
“Um pai, uma mãe, nunca deveriam enterrar seus filhos” – diz o pensamento popular, fazendo menção à ordem natural da vida para os que deveriam partir antes.
Porém, a verdade é que você não enterrou seu filhinho, mãe: o que ali foi deixado sob a terra era apenas sua vestimenta corporal para esta breve encarnação.
Seu filho, sua filha continuam existindo. E todo amor que construíram no aconchego de seu lar não foi perdido: será a semente de um novo amanhã, quando voltarão a se encontrar.

Os planos maiores do Universo – ainda desconhecidos por nós – definiram que precisavam ir mais cedo, por razões especiais.
Voltaram para a verdadeira vida, o mundo espiritual, onde estão recebendo todo auxílio necessário para que sejam bem recepcionados em sua nova realidade.
Deus está com seus filhos nos braços, mãezinha.Segura-os através de seus tantos trabalhadores do bem, que estão encarregados de receber as almas após a desencarnação.
Você não perdeu seus filhos, embora a realidade pareça mostrar isso diariamente, pelo buraco que suas ausências na Terra deixaram.
Não... Você não perdeu seus filhos. A desencarnação é apenas o final de uma etapa e começo de outra.
Não perdemos as pessoas, assim como não se perde o amor semeado no coração.
Quando a saudade apertar e o ar parecer faltar, lembre, mãezinha, dos momentos felizes com eles, lembre de abraçá-los com carinho em suas orações aos céus.
Eles receberão seu abraço e ficarão felizes por saber que em sua alma não há revolta, não há ódio ou rancor, há apenas a natural e saudável saudade.
Através da oração você poderá manter um contato constante com eles, pois a prece une os “dois mundos”.
Diga que os ama muito, que sente falta, é certo, e que é este amor que lhe sustenta os dias na Terra, esperando o sonhado momento do reencontro.
Mãezinha querida... Você não está sozinha neste momento difícil: Deus está com você. Conte com Ele.


Redação do Momento Espírita.
Em 22.06.2011.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Uma amiga me mandou esse texto, fiquei muito emocionada e queria compartilhar com vocês...


Médico cancerologista, já calejado com longos 29 anos de atuação profissional, com toda vivência e experiência que o exercício da medicina nos traz, posso afirmar que cresci e me modifiquei com os dramas vivenciados pelos meus pacientes. Dizem que a dor é quem ensina a gemer. Não conhecemos nossa verdadeira dimensão, até que, pegos pela adversidade, descobrimos que somos capazes de ir muito mais além. Descobrimos uma força mágica que nos ergue, nos anima, e não raro, nos descobrimos confortando aqueles que vieram para nos confortar.

Um dia, um anjo passou por mim... Meu anjo veio na forma de uma criança já com 11 anos, calejada, porém por 2 longos anos de tratamentos os mais diversos, hospitais, exames, manipulações, injeções, e todos os desconfortos trazidos pelos programas de quimioterapias e radioterapia.

Um dia, cheguei ao hospital de manhã cedinho e encontrei meu anjo sozinho no quarto. Perguntei pela mãe. E comecei a ouvir uma resposta que ainda hoje não consigo contar sem vivenciar profunda emoção.

Meu anjo respondeu:

- Tio, disse-me ela, às vezes minha mãe sai do quarto para chorar escondido nos corredores. Quando eu morrer, acho que ela vai ficar com muita saudade de mim. Mas eu não tenho medo de morrer, tio. Eu não nasci para esta vida!

Pensando no que a morte representava para crianças, que assistem seus heróis morrerem e ressuscitarem nos seriados e filmes, indaguei:
 E o que morte representa para você, minha querida?
- Olha tio, quando agente é pequena, às vezes, vamos dormir na cama do nosso pai e no outro dia acordamos no nosso quarto, em nossa própria cama não é? Quando nós dormimos, nosso pai vem e nos leva nos braços para o nosso quarto, para nossa cama, não é?
- É isso mesmo querida, você é muito esperta!
- Olha tio, eu não nasci para esta vida! Um dia eu vou dormir e o meu Pai vem me buscar. Vou acordar na casa Dele, na minha vida verdadeira!

Fiquei boquiaberto, não sabia o que dizer. Chocado com o pensamento deste anjinho, com a maturidade que o sofrimento acelerou, com a visão e grande espiritualidade desta criança, fiquei
parado, sem ação.

- E minha mãe vai ficar com muitas saudades minha, emendou ela.

Emocionado, travado na garganta, contendo uma lágrima e um soluço, perguntei ao meu anjo: "E o que saudade significa para você, minha querida?"

- Não sabe não tio? Saudade é o amor que fica!

Médico Oncologista. Membro da Sociedade Brasileira de Oncologia

quinta-feira, 16 de junho de 2011

segunda-feira, 13 de junho de 2011



Ele tinha apenas oito anos, contudo, detinha a sabedoria das grandes almas. Era uma criança no corpo. Mas, seu Espírito já se dera conta de que breve seria sua vida sobre a Terra.

Generoso, como todas as almas nobres, a sua era a preocupação com outras pessoas. Como ficaria sua mãe sem ele, por exemplo?

Quando soprou as oito velas do seu bolo de aniversário e sofreu uma nova e grave crise que o levou ao hospital mais uma vez, Peter resolveu fazer uma lista.

Era uma lista de alguns itens que ele desejava executar, antes de morrer.

Dos itens constava encontrar alguém que se encarregasse de retirar a neve da frente da casa.

E isso não foi muito difícil, porque um dos vizinhos disse que teria prazer em assumir esse encargo.

E, porque se preocupasse com a qualidade de vida de sua mãe, desejava conseguir, de alguma forma, que ela concluísse a canção que começara a compor quando ele nascera.

Seria o reconhecimento e a consagração dela como compositora.

Para si mesmo, duas coisas eram muito especiais: morrer em casa, cercado de seus amigos e colocar um grande mastro, frente à sua casa, sinalizando que era ali que Peter se encontrava.

Ele iria morrer e desejava que os anjos soubessem onde ele morava, para o virem buscar.

A mãe, descobrindo a lista e reconhecendo a sua importância, se esmerou e, mesmo com o coração a sangrar, concluiu a canção.

Ela a chamou de O Salmo 151. Explicou que lera os 150 salmos da Bíblia, mas que nenhum deles traduzia a alegria que ela sentira ao dar à luz a seu filho.

A dificuldade em conclui-la se dera em função da descoberta da enfermidade de que ele era portador e do pouco tempo de vida que teria.

Todos os recursos possíveis foram empreendidos para que o convênio de saúde aprovasse cuidados ao pequeno enfermo, no lar.

E, numa tarde fria, enquanto Peter se despedia da vida física, os amigos se reuniram para cantar, junto com sua mãe, O Salmo 151.

Quando Peter deixou exalar o último e tranquilo suspiro, os olhos dos amigos se ergueram para contemplar a bandeira tremulando ao vento.

E, em todos os corações, havia a certeza: a bandeira indicativa era desnecessária. Pela forma como suportara a enfermidade e as dores, como se preparara para a morte, pelo seu desprendimento e amor, os anjos sabiam, com certeza, onde estava Peter.

E o tinham vindo buscar.


Existem Espíritos que estão entre nós por pouco tempo. Especiais, destacam-se pela sua forma de ver e sentir a vida.

Vem e vão rapidamente. No entanto, a sua mensagem de amor é de tal forma forte, vigorosa, que deixam o aroma da sua presença indelével entre os que tiveram a ventura de com eles conviver.

A sua lição é do amor que não se apaga, da bondade que se preocupa com o outro e da sábia resignação ante aquilo que não pode ser alterado.

Pensemos nisso!


Redação do Momento Espírita, com base no episódio
O salmo 151, do seriado televisivo O toque de um anjo.
Em 28.04.2009

 

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Siga em frente meu filho...Ainda vamos nos encontrar !





Cada um de nós tem um destino para o próprio espírito,mas não percorremos sozinhos essa jornada de conhecimento. Ao contrário, ela é compartilhada,optamos por voltar,aprender e evoluir com aqueles a quem amamos antes.

Embora personagens, papéis e situações sejam diferentes, esses laços de amor e familiariedade são uma parte inerente de todos nós.

(James Van Praagh )

domingo, 15 de maio de 2011

Meu filho, hoje estou passando pelo meu deserto mais seco. O meu oásis vai ser o nosso reencontro...

Nossos Desertos

Um dia, todo mundo tem que atravessar seus desertos.
Momentos onde a solidão se faz tão presente que parece ter um corpo.
A dor faz o tempo ficar lento, demorado, e tudo parece parar.

É neste momento, que o ser humano descobre o que são fardos,
os fortes encontram a escada que os fará subir,
os fracos se perdem em lamentações,
saem buscando os culpados...

Ai está a diferença entre passar pelo deserto e o permanecer nele.
Os que resistem, os que persistem, racionam a água,
caminham um pouco mais, dão um passo além das forças.
Os que desanimam, bebem toda a água do cantil,
esperam pelo milagre que não virá,
pois todo milagre é fruto de uma ação positiva.

Se hoje você está atravessando o seu deserto,
seja ele o mais seco do mundo, não importa,
em algum canto dele, você encontrará um oásis.
Na nossa vida, oásis são os amigos que não nos abandonam,
são aquelas pessoas desconhecidas que se preocupam com o próximo,
é a fé que todos nós temos e renova a esperança.

Mantenha a racionalidade e uma certeza: você vai atravessá-lo!
Não desista de nada,
não desista de você!
A poeira vai abaixar, a tempestade vai passar,
e depois de tudo, o sol vai brilhar por você.
A esperança é essa brisa que sopra seus cabelos,
e a força que nos empurra para a vitória,
é o amor de Deus que nunca nos abandona.

Autor Paulo Roberto Gaefke

sábado, 7 de maio de 2011

Dia das Mães sem você meu Thadeuzinho...Me dê forças meu Deus...



Meu filho, acordar amanhã e não ouvir bem cedo, "Parabéns Mamãe", vai ser a sensação mais estranha e dolorosa da minha vida, vai ser o meu primeiro dia das mães sem você, meu amor.
Passei a semana muito ruim meu filho, se pelo menos Deus me desse de presente um sonho/encontro com você...Vou pedir hoje , com muita fé, quem sabe Ele pode me atender e acalmar um pouco o meu coração que já está tão destruído.
Tá tão difícil meu Thadeuzinho, a saudade só aumenta, meu único alento é contar os dias , cada dia que passa é um dia a menos para encontrar você, e assim vou "vivendo", um dia após o outro.
Hoje recebi de uma amiga muito querida, uma prece que queria divivir com todas as mães que passam por aqui, pelo seu cantinho meu filho, mães que sabem bem o tamanho da dor de ver partir um filho.
Um beijo carinhoso a todos que passam por aqui e me deixam mensagens de carinho e esperança.
Prece da mãe que perdeu um filho.
"Senhor!
Meu coração dói por causa do filho que se foi, mas minha fé resiste. Em outras partes, mães também carregam o peso da separação dos filhos. E, se tantas são chamadas a essa prova, é porque tens um plano para elas e para os filhos. És Tu mais do que uma mãe. És a mãe das mães. Os filhos de todas as mães são mais filhos Teus do que delas. Põe, pois, uma bênção sobre minha cabeça e vencerei a dor.
Recebe o meu filho, afaga-o, protege-o, destina-lhe um pouso de paz, onde será muito mais feliz do que aqui. Conforta também o coração das outras mães para que aceitem a Tua lei de amor. Obrigada, Senhor, muito obrigada!