sexta-feira, 24 de junho de 2011

Uma razão para continuar vivendo...



Carta às mães que perderam seus filhos

Mãezinha querida... Seu coração está em pedaços...
Não há dor maior do que a perda de um filho...
Aprendemos a amá-los de uma forma tão grandiosa, tão completa, que não conseguimos mais enxergar o mundo sem a sua presença ao nosso lado.
Descobrimos um tipo de amor que nos faz crescer e nos faz amar a vida como nunca antes havíamos amado.
E subitamente são levados... Aos poucos meses, nos primeiros anos... Ou um pouco mais tarde. Levados de nosso regaço através da morte tão cruel.
Mãezinha querida... Seu coração pede consolo, pede uma razão para continuar vivendo...
E esta razão estará sempre em seu amor por eles.
Primeiramente pelo amor aos que ficaram e respiram também o ar de seu amar: filhinhos, esposo, pais, amigos queridos.
Mas também pelo amoraos que partiram porque, mãezinha querida, eles continuam a existir e a amá-la como antes o faziam.
A morte não mata o Espírito e também não mata o amor.
“Um pai, uma mãe, nunca deveriam enterrar seus filhos” – diz o pensamento popular, fazendo menção à ordem natural da vida para os que deveriam partir antes.
Porém, a verdade é que você não enterrou seu filhinho, mãe: o que ali foi deixado sob a terra era apenas sua vestimenta corporal para esta breve encarnação.
Seu filho, sua filha continuam existindo. E todo amor que construíram no aconchego de seu lar não foi perdido: será a semente de um novo amanhã, quando voltarão a se encontrar.

Os planos maiores do Universo – ainda desconhecidos por nós – definiram que precisavam ir mais cedo, por razões especiais.
Voltaram para a verdadeira vida, o mundo espiritual, onde estão recebendo todo auxílio necessário para que sejam bem recepcionados em sua nova realidade.
Deus está com seus filhos nos braços, mãezinha.Segura-os através de seus tantos trabalhadores do bem, que estão encarregados de receber as almas após a desencarnação.
Você não perdeu seus filhos, embora a realidade pareça mostrar isso diariamente, pelo buraco que suas ausências na Terra deixaram.
Não... Você não perdeu seus filhos. A desencarnação é apenas o final de uma etapa e começo de outra.
Não perdemos as pessoas, assim como não se perde o amor semeado no coração.
Quando a saudade apertar e o ar parecer faltar, lembre, mãezinha, dos momentos felizes com eles, lembre de abraçá-los com carinho em suas orações aos céus.
Eles receberão seu abraço e ficarão felizes por saber que em sua alma não há revolta, não há ódio ou rancor, há apenas a natural e saudável saudade.
Através da oração você poderá manter um contato constante com eles, pois a prece une os “dois mundos”.
Diga que os ama muito, que sente falta, é certo, e que é este amor que lhe sustenta os dias na Terra, esperando o sonhado momento do reencontro.
Mãezinha querida... Você não está sozinha neste momento difícil: Deus está com você. Conte com Ele.


Redação do Momento Espírita.
Em 22.06.2011.

9 comentários:

Débora disse...

Oi minha amiga, esse texto é muito emocionante! Esse amor que nos liga aos nossos filhos é muito forte, ele nos mantem unidos a eles e eles a nós e nunca estaremos sós.
Vi que vc teve problema em comentar no blog, comigo tbm aconteceu, teve dia que nem consegui acessar minha conta, uma loucura. Mas mesmo assim estou sempre passando por aqui.
Um grande beijo pra vc querida!

Marian disse...

Hola royal: No sé si tú te has hecho seguidor mio
por que no tienes enlace, no puedo saberlo con certeza.
Dios te bendiga.

Régia Guerra Costa disse...

Débora, graças a Deus parece que o blog voltou ao normal, já estou podendo comentar.
Passo todos os dias pelo seu cantinho, me sinto tão bem. As mensagens, a música, o seu carinho sempre generoso, enfim adoro o seu blog...
Um beijo,
Regia.

Régia Guerra Costa disse...

Oi Marian,
Sou eu sim que estou seguindo o seu blog, é muito lindo parabéns.
Deus te abençoe sempre,
Um forte abraço,
Régia.

Marian disse...

¡Una entrada muy dolorosa!.Rezaré Royal.La oración
como dices es la unión de lo terreno, y lo divino.
¡ Apóyate mucho en Dios!
Encantada de haberte conocido.
Dios y la virgen os bendigan.

Tadeu disse...

Olá Régia, obrigado pela visita ao Espiritismo para todos, vc é privilegiada por ter tanto amor consigo, nem todos são assim. O mundo espiritual é o nosso lar verdadeiro e só estamos aqui de passagem mas quem volta primeiro para o mundo espiritual, deixa aqui apenas a saudade em nosso peito e dor pela perda. Já passei por várias situações e o que me confortou foi que acredito que, aquele que foi já cumpriu o seu tempo e o mais importante é que quando passarmos para o outro lado teremos em nosso lado quem nós amamos. Para isso é bom cuidarmos da nossa saúde e cumprirmos o tempo dado por Deus com amor e paz no coração.

Peço a Deus que te ilumine e luminada possa ajudar quem esta passando por essa situação.

Um abraço confortante.

Régia Guerra Costa disse...

Oi Tadeu, muito obrigada pelas palavras de conforto e esperança, fico muito feliz de você seguir o meu blog.
Tadeu é o nome do meu filho que hoje está com o Pai, sinto muita saudade mas, como você bem disse, ele voltou ao seu lar verdadeiro e vai estar a minha espera quando for a vontade de Deus.
Parabéns pelo seu blog, sou seguidora a passo todos os dias por lá.
Deus te abençoe.
Um abraço.

Patricia disse...

Muito emocionante essa carta... Muita força, Régia, confie em Deus!bjs

Rebeca Coimbra disse...

Adorei a carta...conforta tanto..
Quanta saudade né..as vezes da vontade de desistir..
Precisamos de tanta força..
Q Deus nos ampare..BEIJOS